maio 25, 2006

“NOVOS” ENG.ºs CUF

Nota introdutória

Ainda que a “época dos engenheiros” na Companhia União Fabril seja temporalmente mais recente do que as datas aqui apresentadas, e coincidente com as vagas de admissões dos anos 50/60 do século XX, verificadas na empresa e decorrentes das suas políticas de expansão, o facto é que desde muito cedo, a CUF recrutou pessoal técnico superior para as suas fábricas no Barreiro, não só estrangeiro (em particular nos primeiros dez anos da instalação), como também nacional - julga-se que especialmente a partir da I Grande Guerra.
A rarefacção de fontes da empresa para a primeira metade do século XX limita, necessariamente, qualquer cenário que se possa traçar sobre o pessoal técnico para esse período histórico da CUF, que se crê enquadrado numa estrutura base muito simples de hierarquia e comando.

Sendo factual e conhecido o elenco dos primeiros directores do Barreiro após Stinville, a saber, Eng.º Eduardo Madaíl (1927 – 1929), Eng.º João de Rocha e Mello (1930 – 1943), Eng.º Faustino de Sousa (1944 – 1952), para essa primeira metade do século, a verdade é que se está longe de saber de forma completa, que técnicos ocuparam os lugares logo abaixo na hierarquia, e que respondiam pelo controle eficaz e bom andamento das fábricas, assim como está por esboçar a estrutura existente, e que antecede a reforma e reorganização profunda que a empresa viverá nos anos posteriores ao pós - II Guerra Mundial (existe uma lista de engenheiros da CUF em 1952, que será oportunamente divulgada).

É pois, no intuito de compilação de dados referentes a esta temática e na mira de possíveis esclarecimentos adicionais, que se abordam, nesta notícia, dois nomes antigos entretanto localizados, de engenheiros “novos” porque pouco ou nada conhecidos, até ao momento, no contexto da história da CUF-Barreiro.

Eng.º Daniel Conceição Torres
Elementos obtidos em BENSAÚDE, Alfredo (1922) - Notas histórico-pedagógicas sobre o Instituto Superior Técnico. Lisboa, Imprensa Nacional, p.155, e no acervo bibliográfico do IICL actualmente na posse do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa, ISEL


Nome [completo?]: Daniel Conceição Torres
Data de Nascimento: ?
Formação: Engenheiro Químico-Industrial, Instituto Superior Técnico, curso de 1915/1916
Admissão na CUF [data provável]: 1917 (Barreiro)
Residência:?
Naturalidade:?

Observações: O Eng.º Daniel Conceição Torres poderá ter sido admitido na CUF no enquadramento próprio da I Guerra Mundial, isto é, numa conjuntura de dificuldade de permanência de pessoal técnico estrangeiro nas fábricas do Barreiro, por recrutamentos para a grande deflagração em curso. Há ainda registo de mais dois engenheiros químicos do IST admitidos na Companhia União Fabril, pela mesma altura (BENSAÚDE, 1922, p. 71), mas não se conhece os seus nomes.

Existe um engenheiro Daniel Torres (IST) que assina a sebenta “Trabalhos práticos de Química, conforme as lições dadas no laboratório de Química Geral do Instituto Industrial de Lisboa”, 1941.

Não se encontram, de momento, quaisquer registos deste engenheiro no acervo documental da CUF nos Arquivos da CUF/QUIMIGAL. Coloca-se a hipótese de que possa ter transitado pelos anos 40, da CUF para o Instituto Industrial, para seguir a carreira docente.

Eng.º A. Cabral

Elementos pessoais obtidos a partir da Ficha do Cadastro do Operário

Nome: Armando de Almeida Cabral
Data de Nascimento: 8/09/1917
Formação: Engenheiro Químico-Industrial, Instituto Superior Técnico
Admissão na CUF: 02/08/1943 (Barreiro)
Demissão: 31/12/1946 (saída voluntária)
Residência: Barreiro, Rua Lawes, Nº 24, Bairro da CUF
Naturalidade: Brasil, Rio de Janeiro (nacionalidade portuguesa)

Observações: assina documentação emanada das Fábricas do Barreiro (Serviços de Exploração: Secção Estrangeiro), está em correspondência directa com o consultor Percy Parrish. Deverá ter-lhe sucedido A. Mascarenhas (Eng.º?) e parece ser um dos antecessores do Eng.º António Pessoa Monteiro

O Grupo de Trabalho