maio 25, 2006


Locais de residência de engenheiros da CUF no Barreiro /Lavradio:

(a) Residindo no Barreiro / Lavradio, mas não trabalhando no Barreiro
(b) A indicação do nº 11 (e a omissão do nº 2) quando de facto só foram construídas e inauguradas 10 moradias em 1955 leva
a pensar ou em lapso, ou numa admitida ampliação do número de vivendas construídas pela CUF no referido bairro
(ampliação que, a realizar-se, só viria a ter lugar por iniciativa dos interessados, em terrenos aí cedidos pela CUF em
condições favoráveis).
(c) Arruamento mais rigorosamente designado como “Rua do Industrial Alfredo da Silva”, que partia do Largo das Obras (Largo
Alexandre Herculano) e que seguia para o Lavradio, correspondendo à então EN 13. Com o fecho desta, após a remoção do
cemitério municipal, confunde-se geralmente com a Rua da CUF. Agradece-se à Dra. Vanessa de Almeida, da CMB, o apoio
na localização deste arruamento.
(d) Actual Av. Alfredo da Silva.
(e) Actual Av. Henrique Galvão

Quanto à alternativa “arrendamento” é de atender a que todos os referidos casos
(menos um, situado na Av. Afonso Henriques, ou seja a sul, “para lá das
cancelas”) correspondem a localizações centrais, em arruamentos próximos do
Parque e onde se desenvolvia, aliás com bom ritmo de construção, a “urbanização
moderna” do centro da então Vila.

5. O “Anexo Madaíl”
Pelo seu interesse e, acessoriamente, pelo papel que assumiu na (originalmente
imprevista) génese deste trabalho, reproduz-se, no referido anexo, a
documentação referente ao Eng. Eduardo Madail contida na referida pasta –
incluindo a súmula preparada em Fevereiro de 1996 para investigadores externos
à então Quimigal. O relevante papel do Eng. Eduardo Madaí na história da CUF é
já tido em conta em diversos textos16. Para além de render A. L. Stinville na
Direcção das Fábricas do Barreiro, em 1927 e de outras intervenções essenciais
na vida da Empresa, que constam da informação de 1996, é ainda de referir a sua
possível intervenção, no após-guerra, na breve, mas marcante, consultadoria
Percy Parrish (oportunamente a desenvolver, em notícia própria) e no
estabelecimento de uma potente tecno-estrutura na CUF, pelo recrutamento
maciço de licenciados nacionais.


6. Diversos
Como documento também presente no referido “dossier”, mas aparentemente
“órfão” de toda a lógica anterior, digitaliza-se como “Um Fundo de Pasta” um
“apelo” da direcção da Associação Industrial Portuense, dirigido por carta-circular
aos consócios da mesma aos 4 de Dezembro de 1961 para que, facilitando aos
engenheiros ao seu serviço o exercício de funções docentes, possam ser supridas
as necessidades de assistentes da Faculdade de Engenharia do Porto.

7. A fechar
Contem esta informação três anexos:

• O “ANEXO DOCUMENTAL”, contando de 20 folhas, impressas de um só
lado, sendo a primeira de rosto. Dele constam, na íntegra, a “lista Barreiro”
e a “lista global” de engenheiros CUF, em 1956, para remessa à O.E.;

• O “ANEXO MADAÍL”, constando de 19 folhas; e

• UM “FUNDO DE PASTA”, em 2 folhas.




Lisboa / Barreiro, 21 de Março de 2005
José Miguel Leal da Silva
---««««»»»»---