abril 07, 2006

Virgílio Machado

(Imagem retirada de SANTOS; CASTANHO, 1998)


Virgílio Machado (Lisboa, 1859 – Lisboa, 1927): aluno da Escola Politécnica, completou os seus estudos na Escola Médico-cirúrgica de Lisboa, onde se formou em 1883. Grande entusiasta pelas aplicações médicas da electricidade, abriu nesta cidade um gabinete especial de electroterapia, que manteve durante muitos anos, e foi o primeiro médico a fazer passar uma corrente eléctrica por agulhas cravadas num aneurisma na aorta, conseguindo assim a cura. No Instituto Industrial e Comercial de Lisboa foi quem sucedeu a António Augusto de Aguiar na cadeira de Química (9.ª: Química mineral e orgânica; Análise química, de acordo com a reforma de Emídio Navarro, de 1886/1888). Por sua própria iniciativa, Virgílio Machado visitou no estrangeiro, Espanha, França, Bélgica, Alemanha e Inglaterra, várias escolas e centros hospitalares, a fim de ampliar os seus conhecimentos. Em 1903 fundou, na capital, o Instituto Médico Virgílio Machado, para aplicação da Física e da Química às operações do diagnóstico, e estudo, sob o ponto de vista da terapêutica, das acções da luz, do calor, da electricidade, do electromagnetismo, dos raios X, etc., no organismo humano. Com o seu irmão, e lente da 6.ª Cadeira da Escola Politécnica, Aquiles Machado, assinou um manual de Química: Química Geral e Análise Química (1892). Era médico honorário da Real Câmara.